Cardiologia

Responsável: Dra. Lara Lages da Silveira Queiroz CRMV-RJ 8378

Serviço de cardiologia veterinária

Graduação  UENF

Residência em clínica médica pela UNESA

Mestre e doutora em ciência animal pela UENF

Membro da sociedade brasileira de cardiologia veterinária

fotos lara 1.jpg

  

 

Tendo em vista a importância que o pet ocupa na sua vida e no seu coração, nós preparamos um “guia rápido” com algumas orientações de como acompanhar a saúde cardiovascular dessas criaturas encantadoras: 

- Portadores de cardiopatias nem sempre manifestam sinais clínicos. Portanto, se o seu pet está assintomático, e já chegou a melhor idade (sete anos), ele deverá visitar um cardiologista regularmente, pelo menos uma vez ao ano; 

- Se seu pet apresenta sinais clínicos como tosse, dificuldade respiratória (dispneia), cansaço, desanimo para brincar e/ou passear, mudanças na coloração da língua e gengiva como cianose (arroxeada) ou palidez (esbranquiçada), e/ou síncope (desmaio), ele deverá ser avaliado por um cardiologista independente da idade; 

- Filhotes também podem ter doenças cardiovasculares (congênitas), e manifestar sinais clínicos como apatia, retardo no crescimento e desenvolvimento, falta de apetite, dispneia, cianose, tosse e/ou síncope, ainda com meses de vida; 

- A avaliação cardiológica rotineira é importante tanto na identificação diagnóstica quanto na conduta terapêutica para os pacientes cardiopatas; 

- Investigar arritmias e planejar o procedimento pré-anestésico tem alta relevância tanto em pets aparentemente saudáveis quanto em pacientes cardiopatas; 

- Alterações cardiovasculares secundárias às doenças sistêmicas (ex. nefropatias, endocrinopatias), e à utilização de fármacos cardiotóxicos (doxorrubicina, levotiroxina) requerem acompanhamento cardiológico para melhorar qualidade de vida do seu pet; 

- Os felinos costumam apresentar alterações hemodinâmicas mais precocemente que os caninos, porém, não exteriorizam sinais clínicos de cardiopatia, exceto em quadros bem avançados. Portanto, a avaliação cardiovascular se faz necessária nesta espécie, a partir dos cinco anos de idade, mesmo sendo assintomático; 

- Não importa a idade do seu pet. As cardiopatias podem afetar diferentes faixas etárias. Fique atento e consulte um especialista!  

- Serviços oferecidos: consulta cardiológica, eletrocardiografia, aferição da pressão arterial sistêmica (doppler vascular), ecodopplercardiografia e holter (ECG 24h).  

ICMP4507.JPG